Opinião

Já pensou em desenvolver games? Confira algumas dicas para começar bem nesse meio

Os games já deixaram de ser uma simples diversão no Brasil e são uma fonte de novos empregos.

Segundo uma pesquisa feita pelo Ministério da Cultura junto com o BNDES e a Abragames, o mercado de  jogos eletrônicos brasileiro faturou R$ 1,3 bilhão em 2017. Além disso, as expectativas para os próximos anos são de crescimento: o mercado mundial está cada vez maior e os investimentos do governo na área estão crescendo, com editais oferecendo fundos para criadores e cursos sobre games se tornando mais comuns.

No ano passado eu conversei com diversos desenvolvedores enquanto fazia uma reportagem sobre o cenário de games no Brasil. Nessa jornada, o pessoal me deu várias dicas que podem ser úteis para quem está começando ou pretende adentrar neste lucrativo e competitivo mercado.

Estude pra c#ralho

Apesar de esbanjar altas cifras com sua renda anual e empresas como Ubisoft e EA Games fazerem parecer que é fácil lançar jogos toda hora, o mercado de games é extremamente competitivo, principalmente para iniciantes. Com isso em mente, tente se preparar ao máximo.

Busque faculdade e escolas que abordam temas relacionados à indústria de games, como Design e Administração. No Brasil já existem até instituições especializadas em ensino de tecnologias para jogos eletrônicos, oferecendo aulas de Game Design e Direção de Arte, por exemplo.

Se você não tem dinheiro, basta ficar ligado nos programas do governo que oferecem cursos introdutórios gratuitos sobre jogos. Instituições como o SENAC e SENAI também oferecem cursos técnicos de Desenvolvimento de Games, Jogos Digitais e Programação, basta ficar de olho nos períodos de matrícula.

Aventure-se

Se você não conseguiu cursos gratuitos pra participar, pode começar a aprender a fazer games agora mesmo, dentro de sua casa, no conforto do seu quarto. Os principais motores gráficos, tecnologias para criação de games, podem ser baixados de graça no computador.

Unity, onde foram criados games como Pokémon GO e Cuphead, a CryEngine, do famoso Crysis 3, e a Unreal Engine 4, utilizada em PUBG e Fortnite, são alguns dos motores gráficos que podem ser baixados sem custos em seus respectivos sites. As donas das tecnologias só cobram taxas se o desenvolvedor lançar um game e conseguir lucros com o título.

Vídeo feito para mostrar os avançados gráficos da engine Unity

Com o motor gráfico em mãos, você pode fazer experimentos e começar a conhecer melhor os bastidores dos video games feitos para PC, consoles e smartphones.

Cada motor gráfico também possui diversos fóruns da comunidade e tutoriais online, o que pode ajudá-lo a aprender a fazer games colocando a mão na massa e sem gastar grana.

Faça jogos

Falando comigo durante uma reportagem para o Adrenaline, o desenvolvedor Caio Lopez profetizou: “seus primeiros 10 jogos possivelmente vão fracassar, então faça logo 10 jogos”.

O que ele quis dizer, basicamente, é que o desenvolvedor que está começando deve ganhar experiência fazendo acontecer. Ou seja, mesmo que você esteja mergulhado nos estudos sobre a indústria, siga a dicas anterior, baixe um motor gráfico e comece a desenvolver agora mesmo.

Outra dica de Lopez é não ficar preso em apenas um jogo: comece e termine seus projetos de games para pegar a prática. Com o tempo, seus atributos de desenvolvimento vão se aprimorando.

Entre na comunidade

A comunidade de games é bastante unida no Brasil e busca se apoiar para crescer e ter mais alcance. Se você mora em alguma capital, com certeza vai encontrar na internet algum evento organizado por produtoras independentes.

A Associação Internacional de Desenvolvedores de Jogos (IGDA) costuma promover encontros de desenvolvedores em diversas cidades do país e que normalmente são abertos para novos visitantes, trazendo a oportunidade de pequenos desenvolvedores compartilharem seus projetos com outras mentes do mundo dos games.

Grandes eventos como o BIG Festival e a Brasil Game Show também são ótimas oportunidades para entrar em contato com mais desenvolvedores cara a cara.

Busque conhecimento

Além de comparecer a eventos, tente entrar em contato com empresas que trabalham no ramo de games para conhecer melhor a indústria e buscar ideias sobre assuntos que estão em alta e conselhos de como começar. Se você mora em uma cidade como Florianópolis ou São Paulo, com certeza vai encontrar alguém disposto a te dar algumas diretrizes em sua caminhada.

Além disso, não deixe de acompanhar notícias, palestras e pesquisas sobre o mercado de games em geral. Saber como anda a indústria é um bom passo inicial antes de adentrar no mercado. Fique por dentro das tendências, dos números e do que está dando certo ou errado no mundo dos games.

Uma dica é acompanhar as novidades vindas da Games Developer Conference, que costuma disponibilizar diversos conteúdos e palestras gratuitamente em seu site, bem como pesquisas e entrevistas com desenvolvedores de games.

Uma dica é acompanhar as novidades vindas da Games Developer Conference, que costuma disponibilizar diversos conteúdos e palestras gratuitamente em seu site, bem como pesquisas e entrevistas com desenvolvedores de games.

%d blogueiros gostam disto: